terça-feira, 14 de junho de 2011

...À espera!

Vivemos inquietos, na ânsia de algo, esperamos sempre por qualquer coisa:
Esperamos a entrada para a escola , esperamos os 18 anos de idade, esperamos um emprego que faça de nós “alguém”, esperamos um Amor eterno.




Esperamos um filho, esperamos a viagem que experimentamos em sonhos, esperamos matar saudades de alguém, esperamos que se lembrem de nós, esperamos o reconhecimento dos outros, esperamos ler o livro da nossa vida, esperamos ver o filme que mude o nosso trajecto.


Esperamos que o governo mude, que a pobreza no mundo seja uma miragem, esperamos ter esperança no futuro, esperamos pela tolerância dos homens, esperamos que o planeta não se canse de tanta agressão e cometa o suicídio, esperamos que as consciências despertem, esperamos alcançar paz de espírito.

Foto:(c) Miguel Rita



Esperamos não nos arrepender de tudo aquilo que não fizemos, esperamos saltar de pára-quedas em direcção à liberdade, esperamos que os amigos não partam e que os nossos pais vivam toda a nossa duração, esperamos ter força para ultrapassar os obstáculos, esperamos que as virtudes dos nossos heróis se tornem reais, esperamos não ceder às angústias, esperamos não magoar, esperamos que as folhas caiam a cada Outono, esperamos fazer sentido, esperamos não desperdiçar tempo, esperamos ser maiores para a humanidade.


Esperamos pela idade de ser avós e olhar para trás com a certeza de uma preenchida história de vida...


...Contudo apenas existimos, não vivemos de verdade, porque apenas esperamos...

1 comentário:

freefun0616 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.