domingo, 22 de maio de 2011

PORQUE NÃO?...


Tocam todas as flautas, harmoniosas melodias?
É o desespero apenas tema de livros de ficção?



São os sorrisos sempre, condição da natureza humana?
Sopra o vento boas marés?


São o preto e branco, cores da mesma bandeira?
São as rugas, traços sagrados?
São a justiça e igualdade, pérolas da humanidade?



Quero eu falar de tudo?
É a realidade, fruto da imaginação?


É o amor, uma eternidade?
É o passado, um só momento?
É uma lágrima, a verdade de uma intenção?
É a vida, uma obra prima?



É a lealdade, incondicional?
São as mudanças, simples de acontecer?

É a autenticidade, um sopro do coração?


São os aromas, fragrâncias da Lua?
É a dignidade, uma virtude dourada?
É a inocência, uma asa da sensibilidade?


São só tolos os poetas?
É a solidão lacónica?
É o céu o limite?


É a fé, uma presença?
Somos, enfim, quando caímos, protegidos pela felicidade?...



1 comentário:

Jaime Ojeda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.