terça-feira, 17 de outubro de 2006

A pobreza...

Dia 17 de Outubro, marca a Irradiação da Pobreza, a luta contra a pobreza extrema e a exclusão social... A concretização de tais objectivos parece quanto a mim, mais uma miragem, só em Portugal 20% (INE) da população vive em risco de pobreza extrema.
Apenas na cidade de Lisboa vivem 3.500 sem abrigo...
  • 12,4% da população activa ganha o salário mínimo nacional (374,7 €)
  • A taxa de desemprego em Portugal ronda os 7,2%
  • 26,3 % dos reformados em Portugal recebe menos de 200€ por mês
  • Cerca de 150 mil portugueses recebem o Rendimento Social de Inserção
  • A Taxa de analfabetismo em 2001, era de 9%


    Estes números referem apenas estatísticas significativas a nível do território nacional.

Foto: (c) Bart

Pelo mundo a distribuição da pobreza processa-se da seguinte forma:

  • 43,5% da pobreza afirma-se no Sul da Ásia
  • 24,3% na África sub-saariana
  • 23,2% Extremo Oriente e Pacífico
  • 6,5% América Latina e Caribe
  • 2% Europa e Ásia Central e por fim uns 0,5% no Médio Oriente e Norte de África


    Em conclusão, só me resta dizer que a pobreza não se reduz só à falta de dinheiro, mas sim e também à falta de recursos, disponibilidade desses recursos e falta de formação para os saber usar...


    Enfim, complicada e trabalhosa será a conquista dos pressupostos definidos para a “tal” Irradiação da Pobreza no Mundo, parece-me até uma bela utopia!...
"A Pobreza
Ai não a queres,
assusta-te a pobreza,
não queres
ir de sapatos rotos ao mercado
e voltar com o velho vestido.
Amor, nós não amamos,
como querem os ricos,
a miséria. Nós vamos
extirpá-la como dente maligno
que mordeu até agora o coração do homem.
Mas não quero
que a temas.
Se por minha culpa ela chega a tua casa,
se a pobreza expulsa
os teus sapatos dourados,
que não expulse o teu riso, que é o pão da minha vida.
Se não podes pagar o aluguer,
vai para o trabalho com passo altivo
e pensa, amor,que eu te estou olhando
e que juntos somos a maior riqueza
que jamais se acumulou sobre a terra."
Pablo Neruda