quinta-feira, 15 de março de 2007

A vida por momentos...

"Duro, este virar de página a meio da saudade. Este regresso à realidade. Quis-te tantas vezes. E tantas vezes deixei de te querer...
Ontem? Mais uma vez, sem pensar... Nada mais do que estar. Nada mais do que ter. Nada mais do que ser...

(O meu entardecer...)

Mas preciso esquecer... São convicções que nascem das experiências passadas. Que respeito. E que aceito. E que em vez de aos poucos, são nadas...

Claro que sim, que me doeu, partires assim. Encontrar-me perdido, tão teu, nessa dança esquecido, só eu...

O que quero? Não sei. Sei apenas o que sinto. Esta vontade de ir estando, de ir tendo, de ir sendo... Seja lá o que for, loucamente, no presente... Apenas sonhar acordado, sem futuro nem passado...

«Porém, tentasses tu isto: ser-me mão na mão como no copo de vinho o vinho é vinho. Tentasses tu isto.» (Rainer Maria Rilke in Momentos de Paixão)"